segunda-feira, 15 de junho de 2009

O QUE SIGNIFICA "DIREITA" E "ESQUERDA"?


É visível no PSD e no PS a tendência para disputarem o Poder pela conquista do centro político. Ora, o centro é o pântano, o imobilismo, a aceitação do que está como inevitável. E as divergências que se agitam em campanhas eleitorais, esbatem-se imediatamente quando se alcança o Poder. Sucedem-se, assim, governos de “direita” e de “esquerda”, sem que se descortinem mudanças fundamentais. E, perante isto, muita gente pergunta se a distinção Esquerda / Direita fará, ainda, algum sentido.

Sem entrar agora nas minudências da nossa política caseira, gostaria de abordar essa questão num plano mais abstracto, no plano da linguagem.

Desde logo, devo dizer que a resposta não é fácil porque há diferentes “direitas” e diferentes “esquerdas”. Há direitas conservadoras e revolucionárias, democráticas e autocráticas, liberais e estatizantes, etc. E o mesmo se pode dizer para as esquerdas.

Se quisermos partir de um mínimo denominador comum, algo que possa definir todas as direitas e todas as esquerdas, talvez devêssemos começar por colocar as coisas no plano do compromisso social.

Assim, diríamos que a Esquerda está com “os de baixo”. Com aqueles que, numa sociedade hierarquizada em função do dinheiro, não se encontram na posse dos meios mais importantes de produção de riqueza e que, portanto, não têm acesso nem ao poder nem aos privilégios que só a riqueza proporciona. A Direita estaria com “os de cima” e contra os “de baixo”. A luta política implica o conflito entre os dois, uma vez que o benefício de uns se faz à custa do prejuízo dos outros.

Mas esta seria a resposta de alguém “de esquerda”. Um indivíduo “de direita” não a aceitaria. Não porque negue a existência de uma hierarquia social fundada sobre diferentes níveis de riqueza, mas porque considera que as diferenças verificadas não geram necessariamente uma contradição. As diferenças serão naturais, inevitáveis e mesmo eticamente justificáveis pelo mérito (ou demérito) de cada um. Além disso, e em última análise, a boa sorte dos “de cima” acabaria por favorecer os “de baixo”.

Assim, verifica-se que a resposta à questão “o que distingue a Esquerda da Direita?” tem uma resposta diferente quando ela é dada por um indivíduo da esquerda ou por um indivíduo da direita.

Uma pessoa de esquerda dirá que alguém é de direita se pensa, erradamente, que favorecendo os interesses dos “de cima”, beneficiará também os de baixo. Uma pessoa “de direita” dirá que alguém é de esquerda se pensa, erradamente, que para favorecer os "de baixo" terá de penalizar os “de cima".

Portanto, as diferenças entre Direita e Esquerda existem. E fazem-se sentir desde logo ao nível das definições.

2 comentários: